End: Rua Tocantins, 2265, Centro, 85501-272 - Pato Branco, PR
Tel: (46) 3225-6000 - secretaria@paroquiasaopedropb.com.br

Horários:

Notícias da Paróquia › 17/02/2021

Vivenciar a Quaresma sob efeitos da pandemia

 

Com a celebração da Quarta-feira de Cinzas, iniciamos mais um Tempo de Quaresma. Tempo de renovação espiritual, alicerçado em três obras da penitência quaresmal  : esmola – oração – jejum. A Quarta-Feira de Cinzas marca o início da Quaresma. Neste dia recebemos as cinzas em nossas cabeças, em sinal de penitência, de conversão e humildade. Ao recebermos a imposição das cinzas, lembra-nos da nossa condição humana, frágil, pecadora e passageira, rumo à eternidade. A cinza, especialmente neste dia, recorda-nos nossa origem e nossa finitude: “até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás” (Gn 3,19). A imposição das cinzas é um gesto externo, mas deve ser fruto de uma vontade interna de mudança de vida e conversão. Assim, cada pessoa, ao recebê-las, deve ter em seu coração a vontade de se voltar para Deus e se deixar reconciliar com Ele.

Na mensagem para a Quaresma neste ano, o Papa Francisco apresenta essas três atitudes como o “caminho da pobreza e da privação – o jejum, a atenção e os gestos de amor pelo homem ferido  – a esmola e o diálogo filial com o Pai – a oração”. Estes permitem ao cristão “encarnar uma fé sincera, uma esperança viva e uma caridade operosa”.

Neste contexto de pandemia, o Papa reconhece que “falar de esperança poderia parecer uma provocação”. Contudo, para um cristão o “tempo da Quaresma é feito para ter esperança, para voltar a dirigir o nosso olhar para a paciência de Deus, que continua a cuidar da sua Criação, não obstante nós a maltratarmos com frequência”. A esperança alimenta-se do diálogo íntimo com Deus. E testemunha-se através de “palavras de incentivo, que reconfortam, consolam, fortalecem, estimulam, em vez de palavras que humilham, angustiam, irritam, desprezam”. Mais do que dar, a esmola é dar-se. Papa Francisco desafia os cristãos a “cuidar de quem se encontra em condições de sofrimento, abandono ou angústia por causa da pandemia de covid-19”.

À maneira de Jesus Cristo, O Papa nos desafia nestes quarenta dias, a procurarmos o sentido profundo das atitudes quaresmais e a atualizá-las à pandemia que vivemos. Por isso, mais que nunca devemos aproveitar este tempo de Quaresma, para exercitar a oração, a escuta da Palavra de Deus, a caridade e fazer jejum. Busquemos e procuremos a reconciliação com Deus e com o próximo, assim poderemos celebrar adequadamente o centro da nossa fé – a ressurreição de Jesus – na Páscoa.      

                                                                         (Fonte: Vatican News)

Por Rosemary de Ross, Escritora e autora de vários livros publicados pela Paulinas Editora. Membro da PASCOM – Pastoral da Comunicação – da Paróquia São Pedro Apóstolo – Pato Branco – Paraná.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *